A transição para uma dieta vegana é tida como um dos grandes sacrifícios que alguém pode fazer para ajudar a cuidar do planeta, mas é tão fácil como os veganos fazem parecer? Nem tanto. A transição para uma dieta vegana depois de ser um onívoro toda a sua vida pode ser um tanto complicada. Mesmo para quem cresceu em uma dieta vegana, ter várias pessoas ao seu redor tentando te convencer a comer carne e poucas opções de restaurantes veganos podem pesar na sua escolha de estilo. E uma transição drástica para uma dieta vegana pode pesar demais para sua saúde, fazendo todas as evoluções que você conquistou caírem por terra.

A importância da transição gradual para uma dieta vegana

Não adianta começar um estilo de vida vegano, eticamente correto com a natureza e o planeta, se sua saúde está pagando um alto preço por isso. Existem pesquisas mostrando em alguns casos, que mais de 90% dos que adotaram uma dieta vegana tem deficiências em alguns nutrientes e vitaminas presentes em alimentos derivados de animais. Em dietas vegetarianas, a deficiência pode chegar a mais de 60% dos indivíduos. Isso não é saudável.

“Mas eu tenho um amigo que virou vegano de uma hora para hora e ele é super saudável”. Sim. Cada pessoa e cada metabolismo é diferente. Umas pessoas se adaptam melhor à dieta vegana, outras não. Além disso, a grande maioria das deficiências em vitaminas e minerais só aparecem após alguns anos, cobrando um alto custo da sua saúde.

“Mas veganismo é saudável”. Batata é vegan, e se você comer em excesso, vai fazer mal. Esse argumento, usado por muitos veganos, é um pouco irresponsável. Por que? Porque uma dieta saudável, independente se for vegana ou não, é aquela dieta que tem o acompanhamento de profissionais, como um nutricionista, um endocrinologista. Isso deve ser combinado com a prática regular de exercícios físicos, o que muita gente deixa de fazer, vegano ou não.

Mesmo quem já “nasceu vegano” precisa de exames de sangue, de consultas regulares com profissionais, para garantir que você está recebendo todos os nutrientes e vitaminas essenciais para seu organismo. Veganos “por opção” precisam ainda mais de acompanhamento profissional e se apegar a uma transição gradual. Essa transição é que permitirá ao seu organismo a adaptação necessária para absorver os nutrientes de plantas e vegetais com mais eficiência. É que permitirá a quem está fazendo a transição manter as substituições e o cardápio da dieta vegana sem ter que voltar à opções onívoras por estar com desejo ou por conta de uma deficiência de nutrientes e vitaminas.

Se você já tem um nutricionista e um médico acompanhando sua transição, as dicas abaixo só vão complementar a ajuda essencial desses profissionais para sua dieta.

Faça um processo de educação alimentar vegana

Antes que você possa se aproximar de uma dieta vegana com plena confiança e as melhores chances de sucesso, é uma ótima ideia educar-se sobre por que você está considerando uma dieta vegana. Não faça essa transição apenas em nome de uma moda passageira. Em vez disso, aprenda os benefícios por trás do estilo de vida e como outras pessoas lá fora fizeram a transição também. Você pode assistir filmes inspiradores que mostram os benefícios de uma dieta baseada em plantas, e a realidade do que comer animais comendo realmente implica. Livros sobre dietas veganas e receitas veganas também são importantes para se educar e se preparar melhor para a transição.

Transição para dieta vegana

Faça uma dieta vegana trocando os alimentos gradualmente, e sob acompanhamento de um bom nutricionista. (Foto: expertbeacon.com)

Corte os ingredientes onívoros gradualmente da sua dieta

O próximo passo é uma das mais importantes a tomar quando aprendendo como fazer a transição para uma dieta vegana. Concentre-se cortar os ingredientes gradualmente, não todos de uma só vez. Se começar uma dieta vegana deixando de comprar carne, ovos e laticínios, você provavelmente apenas vai se sentir derrotado e privado, além da falta de nutrientes resultar em episódios de compulsão, onde você vai comer muito dos alimentos que cortou de uma só vez.

O nutricionista vai te ajudar a substituir cada ingrediente onívoro que você come por um semelhante vegano. Algumas trocas podem demorar mais de um ano, e você pode precisar de mudar e voltar para os alimentos onívoros algumas vezes nesse processo, o que não é um fracasso. É simplesmente, seu corpo te mostrando que está fazendo a transição, mas precisa de um pouco mais de tempo.

Encontre receitas para inspiração

Algumas das minhas receitas veganas favoritas começaram como criações e experimentos para substituir pratos famosos para onívoros. Por exemplo, uma lasanha a bolonhesa foi facilmente substituída por uma lasanha de berinjela deliciosa. O sorvete vegano então, muito mais saboroso e gostoso que a versão onívora.

Controle os ingredientes fazendo as compras

A cada nova visita ao supermercado ou loja de suprimentos veganos, faça a compra de um novo ingrediente vegano. Exemplos são grãos saudáveis, como quinoa, arroz integral e aveia. Estes são bases maravilhosas para pratos no almoço, café da manhã ou jantar. Em seguida, considere comprar de um pouco de leite de amêndoas sem açúcar em lugar do leite de vaca, juntamente com sementes de cânhamo, chia, nozes, linhaça e outras gorduras saudáveis. Leguminosas, tal como lentilhas, ervilhas, grão de bico, e quaisquer tipos de feijão que você quer comprar também são grandes aliados para completar as suas refeições veganas. Apenas tente ficar longe de alimentos com muito açúcar Divirta-se na loja, mas lembre-se de ler rótulos de ingredientes e abraçar alimentos simples, tanto quanto possível. Por último, não se esqueça das ervas, especiarias e condimentos como stevia, tamari, mostarda, tahine, e balsâmico, ou vinagre de maçã. Eles vão ser a chave para deixar as suas refeições com um gosto saboroso!

Foque no básico

Lembre-se que a transição não tem que ser algo difícil. Basta começar com o básico quando se trata de seus primeiros lotes de refeições. Como exemplo, no café da manhã, você pode ter farinha de aveia com um pouco de leite de amêndoa, canela e frutas picadas ou iogurte de coco. Para o almoço, você pode fazer várias refeições e manter na geladeira, como sopas e saladas. Grandes ideias de lanches incluem uma amêndoas cruas ou nozes, juntamente com frutas e legumes fatiados. Jantar pode ser uma panela de vegetais de raiz assado com temperos, ao lado de um punhado de quinoa, cogumelos, alho e couve. Lembre-se que, por vezes, os ingredientes básicos acabam se provando os melhores para não terem um gosto exótico demais. Em caso de dúvida, você sempre pode fazer um smoothie e manter o gosto do seu jeito. Ter esses ingredientes facilita bastante na adaptação do seu organismo para uma dieta vegana.

Um dia depois do outro

Quando você está aprendendo a fazer a transição para uma dieta vegana, lembre-se de não sobrecarregar-se ou sentir como cada refeição tem de ser complicada ou cozida no estilo gourmet. Basta ir testando novas receitas, refeição por refeição. Não há necessidade de ser estressado ou intimidados pelo estilo de vida vegano. Na verdade, quanto mais simples as suas refeições, melhores elas são para você.

Coma alimentos integrais a maior parte do tempo

É fácil ser vegano e comprar alimentos veganos nas lojas especializadas, mas essa não é a melhor maneira de abordar uma dieta vegana. Em vez de comprar alimentos processados, escolha alimentos integrais, tanto quanto possível e mantenha a sua dieta equilibrada por consumir uma variedade de alimentos veganos, e não apenas alguns poucos. Isso irá garantir que você obtenha a maior quantidade de nutrientes e fique mais satisfeito com as suas refeições.

Considerações finais

Você vai precisar de alguns suplementos de vitaminas e alguns outros nutrientes, na maior parte das dietas veganas. É muito importante seguir as dicas e orientações do seu nutricionista. Adotar um estilo de vida vegano também exige que você faça mudanças nos produtos que você compra. Cosméticos, tecidos, eletrônicos. Tudo isso tem que vir de fontes naturais, renováveis, e não de animais. Essas mudanças são bem mais fáceis, e os custos a mais valem a pena para garantir o futuro do planeta.

Uma coisa é importante saber: algumas pessoas, devido ao metabolismo, não conseguirão adotar uma dieta 100% vegana. Simplesmente, o corpo não se adapta. Existem algumas doenças, como alguns tipos de anemia, que também complicam bastante uma dieta vegana. O médico e um nutricionista podem, e irão, fazer as análises e avaliações necessárias para te ajudar a entender se você poderá seguir a dieta vegana ou terá de mudá-la para aceitar um ou outro derivado de animais.

Não seja extremista. Faça a transição gradual responsável e mantenha sua saúde em dia. Não tenha medo e nem fique triste se acabar tendo que dar alguns passos para trás. O caminho é difícil, mas todos podemos caminhar juntos.

Como foi sua transição para o veganismo? Qual acompanhamento profissional você tem? Compartilhe nos comentários!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos, dietas ou utilize substâncias, mesmo que naturais, sem a indicação de um médico especialista.

Um comentário para “Transição para o veganismo com responsabilidade e saúde!”

  1. Matheus

    Muito bom mesmo sensacional.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)