Qual é a coisa mais difícil em ser vegano ou vegetariano? Eu tinha pensado sobre isso antes, como eu tenho certeza que todos que adotam um estilo de vida diferente pensam, e, em seguida, no outro dia, a resposta veio-me com bastante força. Eu diria que o maior desafio em ser vegano ou vegetariano é lidar com o antagonismo e assédio recebido de grande parte do mundo. Você sabe, os interrogatórios, os comentários sarcásticos, as humilhações, as “brincadeiras”, e assim por diante.

Exemplos de preconceitos com veganos e vegetarianos

Uma amiga ficou muito chateada com um incidente outro dia. Ela estava visitando a mãe e amigos dela, um casal, apareceu. Em algum momento da conversa, a mãe dela soltou que ela era vegana, e depois começou a descrever o que ela não comia, o que ela costumava comer, e assim por diante. Minha amiga é bem reservada, e não costuma dizer às pessoas sobre a dieta, sequer fica propagandeando o veganismo.

Seguido então da propaganda, minha amiga teve que enfrente o interrogatório habitual: por que você está vegana? O que você come? Não são plantas seres vivos também? Ela ainda tentou explicar pacientemente para eles que veganos só comem uma dieta baseada em vegetais. Isso soa bastante simples e auto-explicativo, não é? Mas o amigo da mãe tinha que fazer perguntas do tipo:

“Uma dieta vegana inclui nozes?”

Pior do que isso, no entanto, era o homem do casal que começou as “alfinetadas”:

“Que tal um bom bife suculento, você ainda pode comer, não pode?”

“E o que dizer de bacon, aposto que você ainda pode comer o bacon crocante, não pode?”

Lidando com o preconceito

Ninguém é obrigado a viver o veganismo, assim como também ninguém pode te forçar a mudar de ideia porque não gostam de quem não come derivados de animais. (Foto: divulgação)

 

Resistindo à tentação de responder na mesma altura

Nessas horas fica difícil evitar ser rude. O homem, então, disse que não sabia como eu poderia desfrutar de comida. A mãe ainda decidiu entrar com seus pontos de vista sobre o veganismo, ou seja, por que ela não era vegana. Então, naquele momento, para tentar acabar com a discussão, minha amiga usou o mesmo discurso que já fez comigo quando eu brincava com ela, dizendo algo como:

“OK, já que você é tão interessada em minha dieta, vou dizer-lhe todas as razões pelas quais eu sou vegana. Não é apenas sobre como salvar os animais, apesar de que é uma grande parte do movimento. Também é melhor para o ambiente, e pode ajudar a acabar com a fome no mundo, pois muito mais pessoas poderiam ser alimentadas com uma dieta à base de plantas. Também é melhor para sua saúde. Portanto, há um monte de boas razões para ser vegano ou vegetariano.”

Sem ser grossa, todos eles se calaram, e mudaram de assunto, que era exatamente o que minha amiga estava esperando.

Lidando com o preconceito ao vegetarianismo/veganismo

O tipo de assédio que veganos e vegetarianos tem aturar é totalmente inaceitável, na verdade. Ele não seria tolerado contra outros grupos minoritários, estilos de vida, e setores da sociedade. Por exemplo, se você conhecer pessoas e eles são gays, é inaceitável começar interrogando-os sobre o seu estilo de vida, hábitos, etc e dizer que você não pode imaginar como eles poderiam gostar de ter relações do mesmo sexo. Esses tipos de observações seriam considerado homofóbicos, e há legislação sobre isso esses dias. Então, por que os veganos/vegetarianos tem que aguentar isso?

Ser grosso não é o caminho, nem ficar calado. Já a passividades só vai dar mais corda aos provocadores. Assim como minha amiga, tenha bons argumentos e não tente tratar o veganismo ou vegetarianismo como uma religião. Ideias podem ser debatidas e com bons argumentos, você convencerá muito mais pessoas do que com crenças e pregações religiosas sobre seu estilo de vida.

Quando achar que está chegando no seu limite, venha aqui compartilhar suas experiências e argumentos. Estamos aqui para ajudar, ouvir e te dar cada vez mais fortes argumentos contra aqueles que não aceitam um estilo de vida diferente.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos, dietas ou utilize substâncias, mesmo que naturais, sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)