A dieta macrobiótica é não só um modo de alimentação, mas uma sabedoria milenar que tem por base estabelecer um equilíbrio entre o homem e a natureza, a começar pela alimentação. Embora a maioria dos alimentos consumidos sejam de origem vegetal, não é uma dieta necessariamente vegetariana, podendo por vezes se valer de peixes e frango em períodos de transição. A proposta é que a alimentação esteja integrada à vida como um todo e possa refletir a ordenação das leis naturais, das estações do ano e da evolução biológica e psíquica de cada indivíduo. Existem princípios básicos de ordenação do universo, das leis naturais e de nosso corpo/alma, que são chamados de “Yin” e “Yang”, elementos opostos que se complementam e que simbolizam as forças feminina e masculina.

Comida macrobiótica

O equilíbrio entre os elementos Yin e Yang regem a dieta macrobiótica

Essa dialética entre os elementos é o que mantem a harmonia e o equilíbrio do universo, e que é também refletida em cada célula ou elemento natural, como os alimentos. Deste modo, a dieta macrobiótica visa uma alimentação que busca ao máximo manter o equilíbrio entre estes dois elementos, pois quando desequilibrados trazem problemas e doenças ao organismo. Os alimentos são divididos pela macrobiótica justamente de acordo com os elementos Yin e Yang, sendo que a saúde do corpo depende da harmonia entre eles. Existem os elementos exclusivamente Yin, os exclusivamente Yang, e os elementos neutros, que internamente já equilibram estes dois elementos, e que são a base da alimentação macrobiótica.

  • Os alimentos neutros são basicamente os cereais integrais, como arroz, centeio, trigo, aveia, milho, cevada, painço, e as sementes, como a linhaça, gergelim, semente de abóbora, de girassol, etc. O arroz integral é considerado o alimento perfeito pela macrobiótica, e é o principal alimento da dieta.
  • Os alimentos Yin: mel, açúcar, café, chá, álcool, óleo, azeite, vinagre, suco de legumes e de frutas.
  • Existem os alimentos Yin intermediários, que não o são tão marcadamente como os anteriores, estando próximos dos neutros. Frutos secos, cogumelos, algas, iogurte, legumes de folha verde, leguminosas, frutas frescas.
  • Os alimentos Yang: Queijos curados, carnes vermelhas, ovos, sal.
  • Os alimentos Yang intermediários (entre Yang e neutros): carne branca, queijo fresco, pescados, leite.

A dieta macrobiótica consiste em 7 níveis de “evolução”. O primeiro deles é a substituição de alimentos Yin e Yang por alimentos neutros ou intermediários. Gradualmente também serão eliminados os alimentos intermediários até chegar aos neutros e preferencialmente, ao arroz integral como único alimento consumido. Este é o último nível da alimentação macrobiótica, dificilmente conseguido e perigoso para a saúde, pois não contém todos os nutrientes necessários à alimentação. É uma espécie de limite teórico da macrobiótica, onde se realiza o equilíbrio absoluto entre os elementos Yin e Yang, mas que na prática pode levar à uma desnutrição extrema. Entretanto, os princípios básicos e os níveis iniciais da macrobiótica trazem elevados benefícios para a saúde. Seus alimentos pobres em calorias e gorduras saturadas e ricos em fibras ajudam na redução do colesterol elevado, da obesidade, hipertensão arterial, diabetes e prisão de ventre.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos, dietas ou utilize substâncias, mesmo que naturais, sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)