A prevenção de AVCs e problemas cardíacos é baseada em hábitos diários de longo prazo, particularmente na alimentação saudável, exercícios regulares e evitar fumar. Muitos de nós já ouvimos dizer que as dietas vegetarianas ou veganas são saudáveis. Será que essas dietas tem algum impacto sobre doenças cardiovasculares?

O que é uma dieta vegetariana e uma dieta vegana?

Simplificando, um vegetariano não come carne, e um vegano não come nada que venha de animais, inclusive mel de abelhas. Uma dieta vegetariana é menos estrita, pois tipos diferentes dessa dieta permitem ingredientes como ovos, leite, peixes, ou uma combinação destes.

Algumas pessoas que consideram o vegetarianismo saudável podem não ser completamente vegetarianas, mas sim, adeptas de uma dieta parcialmente vegetariana, cortando carne vermelha, laticínios ou ovos, sem eliminá-los completamente. E outros periodicamente eliminam certos alimentos da dieta por períodos definidos de tempo e, em seguida, retomam esses ingredientes para a dieta.

Em geral, existem tantas variações nos tipos de vegetarianismo que mesmo os estudos científicos mais confiáveis que são projetados para medir os resultados sobre a saúde com o vegetarianismo admitem a falta de uniformidade entre os participantes. No entanto, há fortes indícios correlacionando uma dieta vegetariana a AVCs e doenças cardiovasculares.

Doenças cardiovasculares e dieta vegetariana

Uma dieta vegetariana pode impactar na qualidade de vida de quem tem doenças cardiovasculares, evitando problemas que podem se agravar no futuro. (Foto: Go Red For Women)

Uma dieta vegetariana pode prevenir um AVC ou ataque cardíaco?

Más notícias para os carnívoros. Estudos tem mostrado que os vegetarianos tem um menor risco de Acidente Vascular Cerebral e uma melhor saúde geral do que os não-vegetarianos. Não existem comparações confiáveis entre vegetarianos, veganos, ovolactovegetarianos, entre outros, pois todos são agregados como não comedores de carne nas pesquisas. Há uma série de explicações para a associação entre a dieta vegetariana e taxas mais baixas de acidente vascular cerebral e problemas cardiovasculares, no entanto, e que vão além do fato de não comerem carne.

Baixos níveis sanguíneos de gordura e colesterol entre vegetarianos

Em primeiro lugar, os níveis mais baixos de lipídios e colesterol no sangue são observados entre os vegetarianos. Enquanto o colesterol no sangue não seja tão perigoso como já foi no passado, os vegetarianos geralmente tem uma menor ingestão de todos os tipos de gorduras e colesterol, bem como níveis sanguíneos mensuráveis mais baixos de colesterol e triglicerídeos do que as pessoas que consomem regularmente carne.

Menores taxas de obesidade entre vegetarianos

Outra tendência entre os vegetarianos é uma significativa redução na obesidade. Um IMC acima de 30 está altamente correlacionado com um risco elevado de AVC e doenças cardiovasculares. Frequentemente, os vegetarianos consomem intencionalmente menos calorias do que os comedores de carne. A taxa mais baixa de obesidade é um resultado desta ingestão calórica deliberadamente mais baixa, bem como o inerentemente menor teor calórico de alguns alimentos vegetarianos.

Variedade nutricional na dieta vegetariana

A composição nutricional de uma dieta vegetariana é geralmente mais variada do que a de uma dieta não vegetariana, geralmente incluindo uma gama mais ampla de vitaminas e minerais do que são encontradas em alimentos frescos. A diversidade de frutas, legumes e grãos integrais fornecem uma série de nutrientes para combater ao acidente vascular cerebral, como a fibra e a cisteína. Embora não seja a regra entre os consumidores de carne, os não vegetarianos geralmente não consomem tantos tipos diferentes de frutas e vegetais frescos quanto os vegetarianos.

Abundância de antioxidantes na dieta vegetariana

Antioxidantes são componentes naturais de frutas frescas, legumes, nozes e peixes. Uma dieta rica nestes tipos de alimentos é rica em antioxidantes. A ação contra as doenças desencadeada pelos antioxidantes é bem documentada na literatura científica, pois eles protegem contra AVcs, doenças cardíacas e o câncer. Certamente, os vegetarianos não tem um domínio exclusivo sobre os antioxidantes, já que comedores de carne podem consumir frutas frescas, legumes e nozes. Mas, em geral, uma dieta vegetariana inerentemente fornece uma maior percentagem de alimentos ricos em antioxidantes para a dieta.

Mas uma dieta vegetariana pode contribuir para evitar o AVC e ataques cardíacos, em alguns casos

Como com toda dieta, não há nenhuma fórmula mágica, e a moderação é a chave. Acontece que alguns vegetarianos podem ter um risco aumentado de acidente vascular cerebral especificamente como resultado da dieta vegetariana, devido a alguns fatores.

Ser vegetariano nem sempre significa ser saudável

É importante notar que uma dieta vegetariana geralmente consiste em mais alimentos frescos, vitaminas e minerais, mas nem sempre é possível ser vegetariano e principalmente consumir carboidratos simples, ignorando grãos integrais ricos em nutrientes, frutas e legumes.

Gorduras Trans na dieta vegetariana

Cortar carne ou reduzir o consumo de carne geralmente resulta na perda de peso e níveis mais baixos de colesterol e gordura. Gorduras trans, o tipo de gorduras que estão mais fortemente ligados a doenças como AVC e câncer, são encontrados em alimentos processados e alimentos fritos, seja o alimento uma carne, produtos lácteos ou vegano. Portanto, é importante entender que ser vegetariano nem sempre é igual a baixo teor de gordura ou mesmo que tenha apenas gorduras saudáveis.

Deficiência de vitaminas

Globalmente, os vegetarianos têm uma maior probabilidade de deficiência da vitamina B12. A deficiência de vitamina B12 contribui para o desenvolvimento de doenças arteriais e de anemia, problemas que podem levar a um acidente vascular cerebral ou problemas cardíacos.

Extremos do vegetarianismo podem causar problemas

A excessiva preocupação com a saúde pode resultar em sérios problemas médicos, principalmente quando o vegetariano vai a extremos. Overdoses de suplementos de vitaminas, por exemplo, podem desencadear AVCs e outros tipos de danos cerebrais. Dietas detox podem causar intoxicação. E o sub-peso, que é outro subproduto do vegetarianismo estrito, está ligado a um maior risco de morte por acidente vascular cerebral e problemas cardíacos.

Moderação é a palavra chave para reduzir os riscos de AVC e problemas cardiovasculares

Uma dieta vegetariana está associada a um menor risco de AVC, bem como a redução de uma série de outras condições, como doenças cardíacas, câncer e diabetes. No entanto, existem outras maneiras de comer saudável, e uma dieta vegetariana não é a única maneira de se obter esse resultado. Além disso, a dieta vegetariana não é uma fórmula mágica que permite a você um controle completo sobre sua saúde. Um componente chave para a prevenção de doenças é sobre começar a quantidade certa de vitaminas, minerais, proteínas, e calorias ao evitar alimentos ricos em conservantes, gorduras, ou que foram muito processados. Inclusive, incluir alimentos frescos na dieta pode ser um ótimo começo de dieta vegetariana. Não acha que é hora de dar uma chance a essa dieta?

Você já segue uma dieta vegetariana? Consulta-se com um nutricionista para fazer sua dieta ou faz os alimentos da sua cabeça?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos, dietas ou utilize substâncias, mesmo que naturais, sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)